Bem-Vindos a "O Bar do Alcides"!

* O Bar do Alcides não faz favores a ninguém!
* É apolítico e imparcial!
* Todos os portugueses são vítimas da MAÇONARIA, que continua destruindo a nossa Nação!

terça-feira, 5 de maio de 2009

Sol de 05.05.2009: Comitiva parlamentar portuguesa chegou a Pequim.

É a primeira visita de um líder do parlamento português à China em mais de uma década e ocorre no ano em que os dois países assinalam o 30º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas.

Além do homólogo chinês, Wu Bangguo, Jaime Gama vai encontrar-se com o presidente da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês, Jia Qingling.

Vitalino Canas (PS), António Almeida Henriques (PSD), Agostinho Lopes (PCP) e Nuno Magalhães (CDS/PP) são os deputados que integram a comitiva do presidente da Assembleia da República.

A delegação portuguesa visitará a província de Shandong na quinta-feira, regressando sábado a Portugal.

O último presidente da Assembleia da República que visitou a China foi Almeida Santos, em Maio de 1997.

Portugal e a República Popular da China estabeleceram relações diplomáticas em Fevereiro de 1979.

Trinta anos depois, o relacionamento político bilateral é considerado «excelente».

Numa mensagem ao seu homólogo português no 30º aniversário das relações diplomáticas, o Presidente chinês, Hu Jintao, manifestou «alto apreço» pelo papel de Portugal na União Europeia e disse que «apesar das diferenças», os dois países «não têm nenhum conflito de interesses fundamentais».

A transição de Macau para a administração chinesa, em Dezembro de 1999, é vista em Pequim como «um bom exemplo de solução de questões legadas pela História».

No plano comercial, porém, verifica-se uma «grande assimetria» e um contínuo agravamento do défice comercial português, realçou o embaixador de Portugal em Pequim, Rui Quartin Santos, numa recente entrevista na capita chinesa.

Segundo a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), em 2008, as exportações portuguesas para a China somaram 182,9 milhões de euros, mais 1 por cento que no ano anterior, enquanto as importações da China ultrapassaram os 1,4 mil milhões de euros, um aumento de 26,2 em relação a 2007.

Lusa / SOL