Bem-Vindos a "O Bar do Alcides"!

* O Bar do Alcides não faz favores a ninguém!
* É apolítico e imparcial!
* Todos os portugueses são vítimas da MAÇONARIA, que continua destruindo a nossa Nação!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

E-Mail recebido sobre o Caso "POCALYKO".


Imagine-se o tamanho e complexidade da fraude Pocalyko: será dezenas de vezes maior do que esta, cuja acusação foi agora deduzida pelo MP. Envolverá vários países, uma das maiores empresas de armamento do Mundo e muito e graúdos Políticos internacionais.

Devem todos agradecer ao Pocalyko, que com a sua arrogância transformou as contrapartidas até há pouco desconhecidas, no “negócio” mais odiado, discutido, e badalado.

http://noticias.sapo.pt/info/artigo/1021068.html

Deduzida acusação a dez arguidos no caso dos “submarinos”

01 de Outubro de 2009, 20:05

O Ministério público deduziu acusação contra dez arguidos,três alemães e se te portugueses, a quem foram imputados, em co-autoria, “a prática de um crime de falsificação de documento e a prática de um crime de burla qualificada”, refere uma nota do nota do Departamento Central de Investigação e Acção Penal.

Em causa está a celebração de um contrato de contrapartidas entre o Estado Português e “German Submarine Consortium” e a sua execução, especifica o mesmo comunicado.

O contrato para a construção de dois submarinos, no valor de 800 milhões de euros, foi assinado em Abril de 2004 pelo então ministro da Defesa Paulo Portas com o consórcio alemão German Submarine Consortium (GSC), do grupo Thyssen Krupp - que, de acordo com o Governo, apresentou a melhor proposta em termos de preço, contrapartidas e condições operacionais.

Este processo, que remonta a 2004, quando o ministério da Defesa, tutelado por Paulo Portas, decidiu comprar os referidos submarinos.

O Departamento Central de Investigação e Acção Penal, refere que a investigação “compreendeu inúmeras diligências em Portugal e na Alemanha, foi proferido despacho de encerramento da fase de inquérito”.

Foi também deduzido pelo Ministério Público, em representação do Estado Português, um pedido de indemnização cível, no montante de 33.989.796,91 euros.

A lista dos arguidos não foi divulgada pelo DCIAP. Sabe-se apenas que três são cidadãos de nacionalidade alemã, dois dos quais ligados à empresa Man Ferrostaal, sediada em Essen, Alemanha, e que integra o consórcio alemão German Submarine Consortium.